segunda-feira, 18 de Maio de 2009

200 anos : Comemorações das Invasões Francesas

Para quem não sabe, Almeida foi uma das portas de entrada das famosas Invasões francesas:



“ A origem das invasões francesas que a História chamada de Guerra Peninsular e que os nossos irmãos espanhóis designavam também por Guerra da Independência, que envolveu os portugueses, os espanhóis e os ingleses a combater contra os Exércitos franceses de Napoleão Bonaparte, na Península Ibérica (1808-18014), encontra-se na tentativa feita por Napoleão, em vista da impossibilidade de vencer Inglaterra no mar, de a paralisar e subjugar pela anulação do seu comércio.

Napoleão de Bonaparte

Com este objectivo, promulgou Napoleão os seus Decretos de 21.11.1806, ordenando que todos os portos da Europa se fechassem aos súbditos britânicos, conforme consta no chamado Bloqueio Continental, assinado em Berlim. Para se fazer cumprir tais decretos, precisava de submeter à sua vontade duas nações amigas da Inglaterra: Portugal e a Suécia. Napoleão encarregou a Rússia de resolver o caso da Suécia e tomou para si o de Portugal.




Bonaparte, depois de em 1807 intimar Portugal a fechar os Portos aos navios britânicos, não só obteve do rei de Espanha, Carlos IV, e do seu Ministro, Manuel Godoy, o consentimento da passagem das tropas francesas para Portugal, como também pelo tratado secreto de Fontainebleau de 27.11.1807, ficou assente que o nosso País seria dividido entre a França e a Espanha, reservando-se um principado para Godoy.”(1)





É na terceira invasão que “Almeida volta a ser palco de novas lutas. Em fins de Julho de 1810 as tropas de Massena cercam a fortaleza depois de uma sangrenta batalha junto à ponte do Côa, de que resultaram centenas de baixas para ambos os lados. Sem apoio do exterior, os sitiados suportam um mês de cerco, sendo obrigados a renderem-se a 26 de Agosto, quando um tiro inimigo fez explodir um paiol, destruindo parte do interior da praça. Esta ficará, até ao final da terceira invasão francesa, na mão dos franceses . Perante o avanço dos anglo-lusos e o insucesso do contra-ataque de Massena em Fuentes de Oñoro, o comandante francês, general Brennier, acabará, a 10 de Maio de 1811, por minar a fortaleza e faze-la explodir em vários pontos, antes de a abandonar.



A destruição então infligida leva a que a principal praça de guerra beirã seja desclassificada, só voltando a recuperar a sua categoria em 1887(…) Em 1895 volta a ser desclassificada, em 1927 perde a sua actividade militar com a saída da última força armada.
Apesar das suas viscissitudes por que passou esta fortaleza com o seu traçado em forma de estrela é ainda hoje uma das mais imponentes fortificações portuguesas”(2) .



Almeida, todos os anos em Agosto faz a recriação deste momento histórico:

As comemorações do Cerco de Almeida, onde portugueses , franceses, espanhóis e ingleses vestem- se a rigor, de acordo com a época.

Este ano irá decorrer nos dias 28,29 e 30 de Agosto , em Almeida, naturalmente!


Não perca este acontecimento este Verão!
_________________

Observações:
(1)Júnior, António de Sousa, “As terras da Beira nas invasões francesas” Colecção Bicentenário da Guerra Peninsular, Edição Câmara Municipal de Almeida, 2006.
(2) Ramalho, Margarida Magalhães, Aldeias Históricas , Colecção Espírito de Lugar, Edições Inapa, 2006.



Imagens retiradas da internet

1 comentário:

  1. Hola soy uno de los recreadores que participó en esta recreación de Almeida, y me diron una tarjeta con varias paginas y me dijeron que mi foto con otra persona iva aparecer por alguna de las 3 paginas que me dieron pero la que mas me suena que puede aparecer es esta. teneis fotos de almeida?¿ a ver si estoy yo en alguna?

    ResponderEliminar